Destaques

25/01/2018

Clima: Precipitações diminuem no Sul, mas ainda não há alerta de chuvas intensas no PR e SC nesta 5ª

Clima: Precipitações diminuem no Sul, mas ainda não há alerta de chuvas intensas no PR e SC nesta 5ª

O clima segue instável no Sul do Brasil, mas sem previsão de temporais na maior parte da região. O tempo deve ficar mais aberto em quase todo o Rio Grande do Sul. Porém, segundo o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), podem ocorrer precipitações intensas em uma pequena área entre o estado do Paraná e Santa Catarina.

"Chuva entre 20 e 30 mm/h ou até 50 mm/dia, ventos intensos (40-60 Km/h). Baixo risco de corte de energia elétrica, queda de galhos de árvores, alagamentos e de descargas elétricas", disse o órgão em alerta para esta quinta-feira (25). Nos próximos dias, no entanto, mapas apontam uma diminuição das chuvas na região.

Essa condição já preocupa os produtores da safra de grãos do Sul do país, que costuma ser colhida mais tarde do que no restante do país. Com menores volumes de chuva, as lavouras de soja, principalmente, podem ter problemas em plena fase de enchimento de grãos. A colheita da oleaginosa no Paraná, por exemplo, está zerada, segundo o Deral (Departamento de Economia Rural).


www.noticiasagricolas.com.br

www.noticiasagricolas.com.br


Aviso para as áreas: Planalto Norte Catarinense, Metropolitana De Curitiba, Vale Do Itajai, Litoral Paranaense, Litoral Norte Catarinense

Temporais ocorreram no Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina em quase todos os dias desta semana com uma frente fria que chegou à região. Estragos foram registrados em algumas cidades. O modelo Cosmo do Inmet, no entanto, aponta que as instabilidades continuam sobre a região até o final de semana.

Mamedes Luiz Melo, meteorologista do Inmet, disse em entrevista ao Notícias Agrícolas que a região Sul, sobretudo o Rio Grande do Sul, recebe poucas chuvas nos próximos dias. Mas devido a um centro de baixa pressão presente nessa área, a situação deve mudar, provocando precipitações irregulares que se estendem até o oeste do Paraná e o Mato Grosso do Sul. O início do mês de fevereiro, por sua vez, irá colaborar para a diminuição desses volumes.

Em uma análise mais estendida do Inmet, a previsão é de que nos próximos três meses os acumulados em toda a região serão menores do que a média para o período. Dessa forma, as lavouras da região que costumam ser colhidas mais tarde do que no restante do país, podem ter problemas justamente no período de enchimento de grãos



voltar